terça-feira, 6 de abril de 2010

Nasce o Trilha Capixaba

terça-feira, 6 de abril de 2010
2009 terminou e agora, em 2010, é a vez de novas pessoas ocuparem as cadeiras em frente à professora Renata Rezende na disciplina de Laboratório de Televisão. No semestre passado, nós aprendemos um pouco do universo televisivo e suas técnicas em uma outra disciplina, e agora é hora de colocarmos a mão na massa e começar a produzir conteúdo de verdade com a orientação da professora.

O trabalho que teremos nesse semestre não será uma coisa aleatória: já estava sendo pensado desde o ano passado. Para isso, toda a turma juntou suas idéias e, separada em grupos, criamos vários projetos. Apenas um deles, no fim das contas, seria eleito para ser posto em prática no Laboratório de Televisão. Apresentados os trabalhos de cada grupo de alunos e depois de uma votação para eleger qual projeto colocaríamos em prática em 2010, eis a idéia vencedora, criada por Camila Bellon, Darshany Loyola, Filipe Moreira, Letícia Simões e Patrícia Carrion: o programa Trilha Capixaba, uma opção de entretenimento para os telespectadores que gostam de conhecer lugares diferentes e nem sempre sabem onde encontrar coisas legais para visitar.

Dê uma olhada no projeto completo escrito pelos alunos em dezembro de 2009:



UFES – Universidade Federal do Espírito Santo
Departamento de Comunicação Social
Professora Renata Rezende

Projeto
Trilha Capixaba


Introdução
Programa de entretenimento que leva até ao telespectador roteiros turísticos alternativos no Espírito Santo. Dois apresentadores vão a uma região diferente do estado a cada edição, e a “descobrem” para o telespectador, como um amigo que viajou para algum lugar e quer dizer como foi, o que encontrou, a hospitalidade do povo, opções de lazer, restaurantes, pousadas, hotéis, pensões, tendo como foco opções de baixo custo, que caibam no bolso da maior parte dos telespectadores - o que não exclui a possibilidade de às vezes visitarmos ambientes interessantes e atrativos à audiência com um custo um pouco mais elevado. A diferença do amigo para o Trilha Capixaba é que vamos ter imagens e áudios de tudo, que unidos a uma linguagem descontraída e leve, aproxima o telespectador ainda mais da vivência e deposita nele o desejo de visitar a região e fazer os programas que o Trilha Capixaba retratou. Através do blog do Trilha Capixaba o telespectador vai poder rever o programa quantas vezes quiser, consultar roteiros de viagem, fotos e informações técnicas dos lugares visitados pela equipe. O programa também tem um e-mail através do qual os telespectadores podem enviar vídeos produzidos em lugares bacanas que tenham ido. Esses vídeos serão postados no blog e os melhores serão selecionados para serem exibidos no próprio programa. Através do blog e do email, o público será o responsável por sugerir os roteiros a serem explorados.

O programa será realizado sempre nos locais visitados, nunca em estúdio. E para divulgar ainda mais a cultura do Espírito Santo, as músicas utilizadas serão predominantemente de bandas e artistas capixabas. Além da câmera profissional, as imagens também serão captadas por câmeras digitais e celulares.

O programa é semanal, apresentado às 12h00 do sábado, com 30min de duração contando com o intervalo. Ele será dividido em dois blocos de 13min e terá um break de 4min.

Desejamos com esse programa levar ao telespectador opções alternativas de lazer, privilegiando locais que possibilitem o contato com a natureza e que fujam da rotina da cidade. O programa tem como objetivo mostrar ao público que o Espírito Santo tem muito a oferecer. Também damos ao telespectador a oportunidade de conhecer um pouco mais da cultura de sua terra, suas músicas e histórias. Assim, além de fomentar o turismo no estado, valorizamos a cultura capixaba.

O programa é semanal, apresentado às 12h do sábado, com 30min de duração, divididos em dois blocos de 13min e um break de 4min. No primeiro bloco, os apresentadores fazem uma escalada de 1min abrindo o programa e mostrando qual é o roteiro do dia. Depois, entra a abertura de 15 segundos, e após ela começa o desbravamento em si da região visitada. No segundo bloco, os apresentadores relembram brevemente aos telespectadores qual região estão visitando e algumas informações principais dadas no primeiro bloco. Neste segundo momento, serão abordados principalmente os restaurantes, pousadas e hotéis, o que cada um oferece, valores e onde encontrar mais informações, sempre com os apresentadores vivendo as experiências para que o telespectador possa saber exatamente como tudo funciona.

É importante ressaltar que os apresentadores passam as informações técnicas dos locais visitados; como se chega, quanto custa a estada no hotel, o valor das refeições nos restaurantes, o preço de uma volta de escuna, do rafting no rio, enfim, tudo que o telespectador precisa saber para conhecer a região. Ao final, os apresentadores fazem um balanço do que acharam, contam quais músicas tocaram no programa (divulgando os artistas) e se despedem revelando o destino da próxima semana. Antes do encerramento, os apresentadores falam ao telespectador que o programa apresentado está no blog do Trilha Capixaba; que ele pode assistir na hora que quiser, indicar o lugar visitado a um amigo, à família, etc. Também relembra que é o próprio telespectador quem dá as dicas de roteiro, e que ele pode enviar um vídeo para o e-mail do programa, que será postado no blog pela equipe. Em cada programa, um desses vídeos será escolhido e exibido.Vale ressaltar que a proposta é que as imagens do Trilha Capixaba sejam captadas ora por uma câmera profissional / semi-profissional ora por câmeras digitais / de celular.

O programa irá ao ar duas vezes por semana: ineditamente sábado, às 12h00 (meio dia), com reprise domingo, às 21h00 (nove horas da noite). A audiência da hora do almoço de sábado é grande, principalmente por parte do público alvo do programa, que em grande parte já finalizou o expediente de trabalho ou estudo e está assistindo televisão enquanto almoça, em um dos únicos dias da semana em que se encontra em casa. Geralmente, neste horário os jovens ligam a televisão mas não encontram algo interessante. Com nosso programa no ar, eles terão acesso a algo feito para eles, com sua linguagem.

Ao ver a dica de rota ainda no início do final de semana, há a possibilidade de programar-se e segui-la. A reprise ao final do domingo (e do fim de semana) é para quem por algum motivo não pôde assistir o programa no sábado. Esse dia e horário também possui enorme audiência, já que a maioria das pessoas está se preparando para descansar e conferindo as últimas notícias do final de semana.

O programa é próprio para todas as idades, mas tem uma linguagem que atrairá principalmente o público jovem, entre 14 e 35 anos.O tema é de interesse do público estudantil, universitário, e de todos os que curtem viagem, turismo e lazer. O programa também é próprio para todas as classes sociais. Apesar dos roteiros turísticos nem sempre serem acessíveis a todos, o público terá a oportunidade de conhecer lugares novos mesmo que apenas por imagens.

A idéia é que as imagens sejam feitas predominantemente por câmeras digitais e câmeras de celular, captadas ora pelo cinegrafista e ora pelos próprios apresentadores. Também será utilizada uma câmera profissional equipada com tripé e aparelhos de iluminação para certos momentos em que for necessária uma imagem mais limpa, para mostrar melhor paisagens, ambientes noturnos, dentre outros. Também será necessário um microfone de lapela e um microfone de mão. Em atividades mais radicais, será utilizada uma câmera semi-profissional de menor porte, à prova d’água, que facilite a mobilidade do repórter cinematográfico. Nas matérias, então, se faz necessário na equipe dois apresentadores, um técnico em iluminação, um cinegrafista e um motorista e veículo para levar equipe e equipamentos (lembrando que o motorista pode ser alguém da própria equipe). E para editar o programa, uma equipe de edição composta por duas pessoas, assistida pelo diretor.

Apesar de já existir programas de turismo no estado, o Trilha Capixaba tem uma série de diferenciais que o tornam inovador, dentre eles o formato e a interatividade com o público. Segundo pesquisas, a população capixaba reclama de poucas alternativas para passeio e diversão. O objetivo do programa é derrubar este mito, mostrando que o estado tem muito a oferecer. Ele fomentará o turismo capixaba, divulgando e valorizando a cultura da terra e os locais visitados.

Escolhido o projeto, então, todos saímos para as férias e aproveitar o verão. Este ano, porém, iniciamos as atividades na Ufes com o compromisso de veicular três programas completos com base no projeto. Vocês poderão acompanhar, agora, o processo de produção de três edições do Trilha Capixaba. Aqui, os alunos vão contar as dificuldades, as artimanhas e os causos vividos na realização das matérias e do programa em geral.
Acompanhe e pé na estrada!

1 comentários:

darsh. disse...

é noix!

Postar um comentário